domingo, 20 de novembro de 2011

idéias para culto infantil

Idéias para o culto infantil


IDEIAS PARA CULTO INFANTIL

Andréia M. Duarte

Realizar um culto infantil não é tarefa fácil. Ao contrario do culto de adultos o culto infantil precisa de um planejamento mais amplo . A criança perde a atenção muito fácil. A mensagem tem que ser compreensível para a criança é necessário o uso de alguns recursos .Uma boa decoração também ajuda .
Ainda existem vários “Tipos” de cultos infantis. Há os cultos no templo de mês em mês, de semana em semana, de dois em dois meses... Também há igrejas onde os culto infantis são realizados a tarde ou nas salinhas . Temos o culto que é feito paralelamente ao culto dos adultos...
Só por ai é que podemos imaginar como é complexa a organização de um culto infantil, mas nem por isso deixa de ser tão prazeroso.



Abaixo listei alguns pontos importantes para a organização de um culto infantil.

Clik e aproveite as dicas.



TIPOS DE CULTO INFANTIL -(Clik aqui)de culto
COMO ORGANIZAR  (Clik aqui)dd
ESCOLHENDO UM TEMA PARA O CULTO  (Clik aqui)  
ESCOLHENDO AS MÚSICAS PARA O CULTO (Clik aqui)d d
ORNAMENTAÇÃO DO CULTO INFANTIL (Clik aqui)d
LANCHES PARA O CULTO INFANTIL (Clik aqui)dd


Nenhuma postagem deste plog está concluída pois sempre estarei acrescentando novidades
Nenhuma permissão é dada para a reprodução de postagens assinadas por mim  em sites, blogs, boletins on-line, através de e-mails, internet ou qualquer outra (em linha) uso.
Porém ficarei muito feliz da utilização das mesmas em sua igreja e departamento

3 comentários:

Andréia duarte disse...

Minha querida, ontem vendo as estatísticas do meu blog, viu o número enorme de vezes que você entrou nele e quis te conhecer desconfiada, e realmente constatei o que o que eu temia estava acontecendo. Você está copiando meus textos e pondo no seu blog , sem minha autorização apesar dos inúmeros avisos que coloquei lá . Inclusive copiados por você. Sei que sua intenção é a melhor possível , assim como é a minha de ter um blog o mais exclusivo possível apesar de saber que isso é difícil .Mas confiando que pessoas crentes , servas de Deus jamais publicariam coisas sem meu consentimento .
Tudo que posto ali, é pra ser usado nas igrejas e tenho muita alegria nisso, Mas não autorizo a reprodução em outros blogs como você fez. Já permiti essa publicação só pela consideração de quem me pediu autorização .As coisas que tem no meu blog de outras pessoas são autorizadas e se caso recebo alguma reclamação , retiro na hora .
Por favor, não me leve a mal, mas retire do seu blog as minhas postagens. Já copiei muito coisas de outras pessoas mas um dia Deus me chamou a Atenção contra isso e falou ao meu coração que ele tinha me dado sabedoria para fazer as coisa e que queria me dar novidade .Desde então a minha mente foi aberta .Oro para que o Senhor faça a mesma coisa com você . Espero que amanhã as minhas postagens já esteja deletadas .
Em nome de Jesus . Que o Senhor te abençoe e fique a vontade para visitar o blog e fazer na sua igreja o que for preciso
Carinhosamente
Missionária Andreia

Andréia duarte disse...

Se você quiser , crio uns desenhos para seu blog exclusivo e te ajudo em alguma coisa , sei que você tem boa vontade , mas ignorar meu aviso é crime virtual .Então estou disposta a te ajudar e não quero que fique com raiva de mim , mas me entenda .Posso te ajudar a formatar seu blog , para ele se tornar único , um abraço

Consultora em Educação disse...

Ambientes barulhentos agridem

Na 22ª. segunda semana de gravidez, a cóclea, órgão que abriga todos os componentes da audição dentro da orelha interna, já está completamente formada. Isso quer dizer que o bebê ouve a mesma coisa que você.

Estudos já demonstraram que o líquido amniótico pode amplificar alguns tipos de som, como os muito graves. A voz da mãe também é amplificada em cerca de 5 decibéis.

Um estudo chegou a mostrar que mulheres que trabalhavam oito horas por dia num ambiente de muito barulho (em volumes que exigiam proteção auricular) corriam mais risco de ter bebês com problemas auditivos.

Além disso, é preciso considerar que um barulho muito forte faz com que o organismo da mãe produza hormônios ligados ao estresse, fazendo o coração acelerar, o que não é bom para a saúde cardíaca do bebê.

Os bebês, desde o útero materno, ouvem e reconhecem vozes. Sabe-se também que são capazes de sentir emoções da mãe, de se assustar e que após o nascimento terão memórias da vida intra uterina.

O psiquiatra canadense Thomas Verny explica no livro “Bebês do Amanhã: Arte e Ciência de Ser Pais”, que desde os primeiros meses de gestação, a criança é capaz de identificar certos acontecimentos.

“Com 4 meses e meio, se você acender uma luz forte na barriga de uma gestante, o bebê vai reagir. Se fizer um barulho alto, ele tenta colocar as mãos nas orelhas. Se colocar açúcar no liquido amniótico, ele vai dobrar a ingestão. Bebês gostam de açúcar! Quando se coloca algo amargo, o bebê para de tomar o líquido e faz cara feia. Eles sentem a diferença entre doce e amargo, reagem à luz, ao toque e ao barulho.”

Vídeo-game e todos os brinquedos sonoros devem ser avaliados pelo som que emitem. “O sistema auditivo é um órgão sensorial extremamente delicado e passível de lesões se for muito carregado, principalmente em bebês, que têm uma sensibilidade auditiva muito apurada. A célula ciliada do ouvido interno do bebê sofre com o ruído excessivo e esse abuso pode acabar levando à sua destruição”, alerta o otorrinolaringologista Jamal Azzam.

A indicação é sempre manter os pequenos longe de ambientes muito barulhentos, seja um local fechado ou na rua, onde o som do trânsito também causa incômodo. Se for inevitável fugir desses locais, o ideal é proteger os ouvidos da maneira certa. “Muitos pais usam algodão para tapar o canal auditivo, mas isso não garante a vedação necessária do som. Uma opção é usar fones de ouvido de boa qualidade que preservem a audição”, finaliza Azzam.

“Há uma região no cérebro chamada “tálamo”. Esta é a parte do cérebro na qual a música é percebida. No tálamo as emoções, sensações e sentimentos são percebidos antes destes estímulos serem submetidos às partes do cérebro responsáveis pela razão. A música, portanto, não depende do sistema nervoso central para ser assimilada imediatamente pelo cérebro. Ela passa pelo aparelho auditivo, pelo tálamo e depois vai ao lobo central.

A “batida” que substitui o ritmo provoca um estado de emoção que a mente não discerne. Desorganiza a química. As batidas graves da percussão afetam o líquido cerebrospinal.
O volume (amplificado) das músicas acima de 50 decibéis prejudica a audição e a saúde cerebral”.


Ivone Boechat

Postar um comentário